Em um ano atípico, as Instituições de Ensino Superior acreditam que, com o adiamento do Enem, o período com maior número de matrículas no Ensino Superior do ano será estendido até abril, após a divulgação das notas.

Somado a isso, muitos alunos que planejavam iniciar a graduação em 2020 postergaram esse desejo para o início deste ano, gerando uma demanda reprimida que está ávida por boas oportunidades.

Porém, para que as instituições de ensino sejam capazes de manter as taxas de captação altas, neste período, é preciso que os gestores implementem estratégias eficazes e tenham em mente: a captação 2021 não será como nos outros anos. Para uma nova realidade, novas estratégias. Sempre com informações sobre os cenários e as possibilidades. E é sobre isso que vamos tratar aqui. Confira!

A nova sazonalidade

Com a mudança do Enem, precisamos entender que o período de alta captação, que geralmente é iniciado no mês de janeiro e segue até o começo de março, foi ampliado, provavelmente, até abril. Afinal, o Enem ainda é a principal porta de entrada dos alunos no Ensino Superior.

Porém, isso não significa que apenas após a divulgação das notas é que as matrículas serão efetivadas. Afinal, há um contingente de alunos que desejam iniciar a graduação e, com a oferta de processos seletivos alternativos (os digitais, por exemplo), a captação seguirá em alta.

A alta concentração nos meses de janeiro, fevereiro e março continua, porém há uma grande possibilidade de um segundo período de alta no mês de abril. Portanto, as instituições precisam estar preparadas para isso, tanto no calendário acadêmico, como em processos de admissão e políticas financeiras.

Afinal, quando esses alunos chegarão?

A pandemia trouxe muitas incertezas e isso fez com que os alunos que planejavam iniciar a graduação em 2020 adiassem para 2021. Há, portanto, uma demanda reprimida, que passa a buscar boas oportunidades. Alunos ansiosos para começar a estudar!

Pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Mantenedores do Ensino Superior (ABMES) e pela consultoria Educa Insights, em janeiro de 2021, mostra que 25% dos alunos entrevistados declararam que pretendem se matricular imediatamente, enquanto 38% que pensam em efetivar a matrícula nos pŕoximos 6 meses. Portanto, há um potencial de novos alunos e as instituições precisam estar preparadas para recebê-los.

Dupla isenção como estratégia para ampliação da captação

Uma das dúvidas recorrentes dos alunos é sobre o pagamento dos meses de janeiro e fevereiro, caso eles optem por iniciar o curso em março, por exemplo.

Diante disso, há a necessidade da criação de mecanismos, tanto pedagógicos quanto financeiros, para que os alunos se sintam seguros e, assim, enxerguem uma boa oportunidade ao iniciarem o curso nos meses de março e abril.

Uma estratégia que pode ser adotada é a dupla isenção, ou seja, o aluno não paga as mensalidades nos meses de janeiro e fevereiro. Esta estratégia, além de trazer segurança ao estudante, cria um argumento de marketing importante para as instituições trabalharem a captação com maiores chances de conversão.

Para isso, é essencial que a instituição busque formas de garantir a saúde financeira, sem trazer prejuízos ao caixa da empresa. Além disso, é uma estratégia que deve ser enxergada como investimento em captação, em um ano que exige esforços diferenciados.

Para garantir o sucesso desta ação, nossos gestores de contas estão à disposição para orientar as instituições. Entre em contato conosco.

Marcelo Lima
por Marcelo Lima
Marcelo Lima trabalha para colocar estudantes na sala de aula há mais de 20 anos, como profissional de marketing educacional já trabalhou com mais 250 faculdades. É um dos pioneiros do EAD no Brasil e busca sempre os melhores conteúdos em forma de cases e novas ferramentas para os canais da Quero Educação.