Todas as mudanças que o mercado educacional têm passado nos últimos anos – e que foram aceleradas com a pandemia – se tornaram decisivas para a transformação de um momento bastante importante: a alta da captação 2021.

Com mudanças na sazonalidade, uma demanda ávida por soluções adequadas ao momento, grandes processos de aquisições e fusões nos maiores grupos, além das incertezas que 2020 trouxe para alunos e instituições, os gestores têm um desafio desmedido pela frente, que vai além de necessidades estratégicas: é preciso uma mudança de mindset.

Pensar a gestão do Ensino Superior, neste novo momento, exige um empenho na promoção de novas formas de organização e na busca de soluções inovadoras. E, para isso, é preciso ter cautela, mas não ter medo de arriscar.

Quais são os pontos de maior atenção para o gestor do Ensino Superior, neste momento? Como mudar essa forma de pensar? Separamos alguns temas importantes sobre isso. Confira!

Agilidade e estratégia

As incertezas do período em que vivemos trazem consequências reais para a captação de alunos. Um exemplo disso é a alta taxa de abstenção do Enem, que chegou a 63% em alguns estados. A insegurança dos alunos e a existência de uma demanda reprimida – e em busca de ingressar no Ensino Superior – leva o mercado a perceber que há uma necessidade urgente pelo planejamento e execução de estratégias assertivas e ágeis.

No marketplace, por exemplo, uma ação importante é que os gestores realizem um trabalho diferenciado de precificação, levando em consideração o cenário do mercado e as estratégias da concorrência. Para isso, um diálogo constante com as equipes do marketplace, um senso de irgência apurado nas tomadas de decisões e um olhar analítico para cada ação são medidas essenciais.

E lembre-se: agilidade, agilidade e agilidade! Quem sair na frente, terá mais chances de atingir melhores resultados.

Dados e inteligência

Agilidade, sim, mas com inteligência. E para isso, é necessário que o gestor tenha dados sobre o mercado, os alunos e a concorrência. Trabalhar exatamente igual a períodos passados de captação pode ser uma estratégia bastante arriscada, neste momento.

O que estamos falando aqui é que um novo tempo exige novas soluções. E para que elas sejam inteligentes, é preciso que estejam embasadas em um robusto compilado de dados.

Mais uma vez, a alta taxa de abstenção no Enem é um ótimo exemplo. Em alguns estados – como Roraima, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso – a ausência de alunos no exame ultrapassou 60% dos inscritos, no segundo dia de prova. E a pergunta vem: como incentivar essa demanda a ingressar no ensino superior, ainda neste ano?

Top 5 Estados com maior taxa de ausência de inscritos no 2º dia de aplicação do Enem 2020

Para responder, precisamos pensar no cenário como um todo, na forma como a pandemia influenciou a decisão desses alunos de não comparecerem ao local de prova. Com base nisso, é possível aderir a soluções como vestibulares on-line, condições competitivas de precificação e outras decisões estratégicas e inteligentes.

Na Quero, por exemplo, nossa equipe está sempre à disposição dos parceiros para ajudá-los a entenderem as nuances do mercado, com uma plataforma de dados robusta.

Compartilhamentos e custos

Pensar a gestão de uma forma diferente, sem dúvida, passar por desenvolver soluções coletivas. Vivemos na era dos compartilhamentos! E não há como fugir disso.

A necessidade de trabalhar o caixa da empresa, diminuindo custos e aumentando o capital de giro, passa por atuar em parceria com os players. O que estamos falando? É isso: seu concorrente e você precisarão compartilhar para crescer.

“Existe um caminho que, no Brasil, é difícil de fazer, que é o caminho mais racional. É você criar um novo arranjo institucional, agrupar quatro ou cinco instituições na mesma localidade ou em localidades muito próximas e criar uma certa musculatura. É fazer uma estrutura institucional, seguindo o modelo mais próximo da governança”, explica Carlos Monteiro, diretor-presidente da CM Consultoria.

A gente sabe que parece uma realidade muito distante. Contudo, isso é “pensar diferente” e, somente com uma nova compreensão de gestão, as Instituições de Ensino Superior manterão sua relevância e capacidade competitiva no mercado.

Aqui na Quero, nossa equipe está pronta para ajudar você a entender os melhores cenários para a captação. Converse com o seu gestor de contas.

Marcelo Lima
por Marcelo Lima
Marcelo Lima trabalha para colocar estudantes na sala de aula há mais de 20 anos, como profissional de marketing educacional já trabalhou com mais 250 faculdades. É um dos pioneiros do EAD no Brasil e busca sempre os melhores conteúdos em forma de cases e novas ferramentas para os canais da Quero Educação.