0
(0)

Entenda como o youtube pode ser utilziado como ferramenta pedagógica no ensino direcionado à geração Z

Ei, você sabe tudo sobre ensino híbrido e como utilizá-lo da melhor forma possível em sala de aula? E que tal um pouco de informação útil sobre a bolsa de valores e as melhores estratégias de governança corporativa? Basta realizar uma busca por estes temas no Youtube, que se tornou segundo o site Statista, a segunda rede social mais usada no planeta.

Mais de 1,9 bilhão de usuários conectados ao YouTube acessam a plataforma todos os meses. Diariamente, as pessoas assistem mais de um bilhão de horas de vídeo e geram bilhões de visualizações.

O que isso significa? Que o Youtube se tornou uma nova espécie de enciclopédia.

A rede tem sido a primeira opção das pessoas que buscam conhecimento rápido. Isso se dá através de tutoriais sobre os mais diversos temas, como turismo, culinária, estilo de vida, moda, decoração, entretenimento, e, porque não, educação. 

Nem todos os tutores e responsáveis por ensinar algo em seus vídeos no Youtube são devidamente qualificados para tal. Embora no início isso tenha sido visto como vilão, sete em cada dez professores já o utilizam como ferramenta pedagógica.

Neste artigo iremos discorrer sobre os aspectos positivos e negativos do Youtube na luta pela democratização do ensino. Além de oferecer dicas sobre como usar essa ferramenta como um método eficaz de ensino.

Panorama sobre as redes sociais na educação superior

A primeira rede social mais utilizada no mundo, o Facebook, foi criada com um propósito inicial diferente. O objetivo era reunir os estudantes universitários e promover a interação entre estudantes de Harvard. No entanto, atualmente, o Facebook é aberto ao público e possui 2,3 bilhões de usuários entrando na plataforma todo mês. Sendo 1,5 bilhãode usuários todo dia. Com isso, a rede avança em sua liderança no ranking mundial de redes sociais e plataformas digitais. A empresa chega com seus produtos a 34% da população mundial.

Você pode visualizar o ranking completo abaixo, disponibilizado pelo site Statista:

Rede social Usuários ativos

1.º Facebook 2,271 bilhões;

2.º Youtube 1,9 bilhão;

3.º WhatsApp 1,5 bilhão;

4.º Facebook Messenger 1,3 bilhão;

5.º WeChat 1,083 bilhão;

6.º Instagram 1 bilhão;

7.º QQ 803 mil;

8.º QZone 531 mil;

9.º Douyin/TikTok 500 mil;

10.º Sina Weibo 446 mil;

11.º Reddit 330 mil;

12.º Twitter 326 mil;

13.º Douban 320 mil;

14.º LinkedIn 303 mil;

15.º Baidu Tieba 300 mil.

A publicação em redes sociais (94,1%) é uma das formas de investimento em Marketing Digital mais praticada pelas instituições de educação. Atualmente, cria-se a necessidade de pesquisar as redes sociais com o objetivo de investigar o significado da aprendizagem. Tudo isso de maneira eficaz e duradoura, além de levá-la a um processo de melhores práticas educativas. Em suma, a apropriação pelos estudantes universitários do uso das redes sociais tem exigido das instituições de ensino superior novas concepções e estratégias. Mais do que nunca é preciso repensar o processo de ensino-aprendizagem.

Por que o ensino no Youtube tem se tornado popular?

O número de crianças e adolescentes que usa a internet, apenas pelo celular, cresceu. Segundo a Pesquisa TIC Kids Online, divulgadou, recentemente, o percentual de jovens entre 9 e 17 anos que acessa a rede somente pelo telefone móvel. O índice chegou em 44%. No levantamento anterior, com dados de 2016, o índice era de 37%.

Tendo em vista que este novo cenário tecnológico tem sido cada vez mais difícil para o professor manter a concentração de seus alunos em sala de aula.

Conhecido como Professor Jubilut, do canal Biologia Total, que possui mais de 1 milhão de inscritos no Youtube, o professor Paulo deu uma entrevista à Revista Galileu. Segundo ele, devido ao uso excessivo do smartphone, suas aulas já não estavam funcionando mais. Demitido da escola em que dava aulas, ele encontrou no ensino pelo Youtube a sua nova carreira e fonte de renda. Assim, Paulo continuaria a exercer sua profissão e a compartilhar conhecimento, mas, desta vez, para um público focado.

O projeto do Professor Jubilut cresceu tanto que se tornou uma plataforma de estudos completa, com site próprio e cursos exclusivos, cujas mensalidades partem de R$ 17. “Hoje somos uma empresa de 25 funcionários. Fizemos vídeos na África para explicar sobre os animais de lá”, conta o edutuber (como são apelidados os youtubers de educação).

ilustração predominantemente na cor laranja com uma mão que dá um play em um vídeo

De que outra forma você pode utilizar as redes sociais como ferramenta pedagógica?

Faça a mediação de grupos de estudo

Convidar os alunos de turmas diferentes para participarem de grupos de estudo nas redes – separados por turmas ou por disciplinas -, pode ajudá-lo. Afinal, assim é possível ‘diagnosticar as dúvidas e os assuntos de interesse dos estudantes que podem ser trabalhados em sala de aula. Tudo isso, de acordo com os conteúdos curriculares já planejados.

Disponibilize conteúdos extras para os alunos

 As redes sociais são bons espaços para compartilhar com os alunos materiais multimídia. É possível dividir notícias de jornais e revistas, vídeos, músicas, trechos de filmes ou de peças de teatro que envolvam assuntos trabalhados em sala.

Promova discussões e compartilhe bons exemplos

Aproveitar o tempo que os alunos passam na internet para promover debates interessantes sobre temas do cotidiano ajuda os alunos a desenvolverem o senso crítico. Além disso, incentiva os mais tímidos a manifestarem suas opiniões. Instigue os estudantes a se manifestarem, propondo perguntas com base em notícias vistas nas redes, por exemplo. Essa pode ser uma boa forma de mantê-los em dia com as atualidades, geralmente cobradas nas provas.

 Elabore um calendário de eventos

No Facebook, por meio de ferramentas como “Meu Calendário” e “Eventos”, você pode recomendar à sua turma uma visita a uma exposição, por exemplo. Esses calendários das redes sociais também são utilizados para lembrar os alunos sobre as entregas de trabalhos e datas de avalições. Porém, vale lembrar: eles não podem ser a única fonte de informação sobre os eventos que acontecem na instituição de ensino em dias letivos.

Organize um chat para tirar dúvidas

Com alguns dias de antecedência, combine um horário com os alunos para tirar dúvidas sobre os conteúdos ministrados em sala de aula. Você pode usar os chats do Facebook, do Google Talk, ou até mesmo organizar uma Twitcam para conversar com os alunos. Contudo, essa não pode ser a única forma de auxiliá-los nas questões que ainda não compreenderam.

Nesse artigo você encontra mais informações sobre como atrair estudantes por meio do marketing em vídeo: CLIQUE AQUI

Os aspectos positivos e negativos do Youtube como ferramenta de ensino

Confira alguns dos aspectos positivos e negativos do Youtube como ferramenta para a democratização do ensino nas redes sociais:

Como estruturar canais no youtube que ofereçam conhecimentos complementares?

1.      Defina seu conteúdo: é possível fazer sucesso no YouTube lançando um canal de nicho. Dessa forma, é importante definir o seu público e segmentar os seus conteúdos já num primeiro momento. Se você é professor de educação física, deve decidir por trabalhar com ensino básico, fundamental ou médio, por exemplo. Já se o seu foco é literatura, deve decidir-se por gêneros e conteúdos específicos para abordar em seus vídeos.

2.      Seja diferente: antes de lançar o seu canal, faça a si mesmo a pergunta: o que você pode oferecer de diferente, em relação a quem já fala sobre esse tema? O professor Jubilut, por exemplo, utiliza uma metodologia própria para explorar os conteúdos relacionados à Biologia de forma leve e descontraída.

3.     Crie uma periodicidade: faça o exercício de listar, no mínimo, 50 pautas para os próximos vídeos que pretende colocar no ar. Um canal só terá sucesso se tiver vídeos publicados com frequência – e isso só vai acontecer se você realizar um planejamento.

5.      Faça parcerias com outros canais do mesmo nicho: uma das estratégias fundamentais para o crescimento do canal em questão é a parceria com blogs e outros youtubers. Mas não basta mencionar ou aparecer nos vídeos de outros canais, tem que haver uma troca de experiência e conteúdo.

6.      Ganhe conhecimento: quem está pensando em empreender nesta área precisa se capacitar. Há cursos gratuitos disponíveis sobre o tema. Em uma época em que quase todo mundo quer ser produtor de conteúdo, é importante se profissionalizar da melhor maneira possível.

uma ilustração aponta para a logomarca do Youtube.

Conclusão

A democratização pelo ensino  superior ainda é um grande desafio. No entanto, as inovações tecnológicas têm proporcionado cada vez mais benefícios. Para tornar isso possível, você precisa estar por dentro delas se quiser que o seu negócio continue em constante jornada de crescimento.

Não deixe de inscrever-se em nossa newsletter para receber nossos últimos conteúdos do blog e de avaliar este. Afinal, consegui te ajudar?

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Mktvirtual
por Mktvirtual