5
(3)

Neste artigo, você irá entender o que é gestão educacional, a correlação com gestão escolar, e como aplicá-la em uma IES.

É um desafio para as instituições de ensino estabelecerem processos bem definidos e rotinas administrativas que alavanquem melhores resultados. Para isso, é importante conhecer os procedimentos básicos exigidos pela lei e exercer uma gestão que melhore a qualidade do ensino e gere valor à instituição.

Qual o significado de gestão educacional?

A gestão educacional é uma das instâncias da gestão governamental, ou seja, é coordenada pelo governo e regulamentada pela legislação. Compreende-se que a educação é um dos fatores determinantes para o desenvolvimento de uma nação, e por isso deve ser uma preocupação das lideranças do país.

Ela se aplica a instituições públicas e privadas do ensino básico (infantil, fundamental e médio), instituições de ensino superior, escolas técnicas e profissionalizantes, escolas de idiomas, cursos livres e universidades corporativas.

No Brasil, a gestão educacional baseia-se em uma organização que divide-se em três sistemas de ensino: federal, estadual e municipal. Cada uma dessas esferas possui suas próprias incubências e responsabilidades. A articulação entre esses sistemas determina as normas para o setor e a oferta de educação tanto no âmbito público quanto no privado.

Apesar da divisão de responsabilidades entre municípios, estados e União, a gestão educacional no Brasil acontece em regime de cooperação, isto é, de corresponsabilidade. Os três sistemas atuam juntos, mas cada um possui suas prioridades. Resumidamente:

  • Municípios: responsáveis pela educação no nível infantil e fundamental;
  • Estados: priorizam o ensino médio e atuam em parceria com municípios na oferta do ensino fundamental;
  • União: responsável por organizar o setor educacional como um todo e regular o ensino superior.

Enquanto os ensinos básico e superior, públicos e privados, são gerenciados pelos municípios, estados e União, os outros tipos de ensino, como de idiomas, profissionalizantes e cursos livres são independentes, mas não significa que não são orientados pela gestão educacional ou que não sejam incluídos na legislação.

Leia também: Como fazer um projeto piloto?

O que a lei exige?

As principais leis que tratam da educação e regem a gestão educacional no Brasil são a própria Constituição Federal e também a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) de 1996. Para ambas, a educação é um direito assegurado a todos os cidadãos brasileiros; é um dever do Estado, sendo promovida e incentivada com a colaboração da sociedade.

A gestão educacional segue as orientações e diretrizes da LDB, que estabelecem, em forma de lei, as obrigações e responsabilidades das instituições de ensino. Essas orientações visam um ensino mais padronizado e de maior qualidade em todo o território nacional, seguindo o exemplo de países desenvolvidos.

Para as instituições privadas, a LDB prevê o ensino livre, desde que sigam as seguintes condições:

  1. cumprimento das normas gerais da educação nacional e do respectivo sistema de ensino;
  2. autorização de funcionamento e avaliação de qualidade pelo Poder Público;
  3. capacidade de autofinanciamento, ressalvado o previsto no artigo 213 da Constituição Federal.

Na LDB também constam as responsabilidades das instituições de ensino, públicas ou privadas, de forma que a gestão educacional seja cumprida. A seguir, os principais deveres apontados na LDB:

  • Elaborar e executar sua proposta pedagógica;
  • Administrar seu pessoal e seus recursos materiais e financeiros;
  • Assegurar o cumprimento dos dias letivos e horas-aula estabelecidas;
  • Prover meios para a recuperação dos alunos de menor rendimento;
  • Articular-se com as famílias e a comunidade;
  • Informar os pais e responsáveis sobre a freqüência e o rendimento dos alunos, bem como sobre a execução de sua proposta pedagógica.

Além das obrigações das instituições de ensino, a LDB também prevê flexibilidade quanto às formas de organização, ou seja, à gestão escolar de cada instituição de ensino.

Leia também: Como garantir segurança nas provas online?

A diferença entre gestão educacional e gestão escolar

Enquanto a gestão educacional consiste nas normas e diretrizes governamentais para as atividades e empreendimentos voltados à educação, a gestão escolar equivale à forma e à metodologia de se administrar uma instituição de ensino.

A gestão educacional é, portanto, compreendida pelas iniciativas dos sistemas de ensino. Já a gestão escolar trata da autonomia das instituições de ensino de cuidar das ações que estão sob sua responsabilidade.

Para que a gestão escolar seja eficaz, o gestor deverá observar as particularidades e necessidades de cada setor e, ainda, ter habilidades para gerenciar a instituição como um todo, desde o plano pedagógico às questões financeiras, executando as responsabilidades descritas na LDB.

O gestor de uma instituição de ensino precisa estar orientado para a busca por resultados, promovendo, além da sustentabilidade financeira e sucesso do negócio, a qualidade e excelência do ensino-aprendizagem oferecido por sua instituição de ensino.

Baixar eBook de Planejamento

Leia também: Qual é o objetivo da avaliação escolar?

Principais áreas da gestão escolar

A gestão escolar, como mencionado acima, é o processo administrativo completo de uma instituição de ensino, seja ela do ensino básico, superior, técnico, profissionalizante ou do conhecimento livre. Para alcançar o sucesso em sua administração, o gestor precisa compreender cada área da instituição, sendo sete as principais.

  • Gestão Pedagógica: é a base estrutural da instituição. É nessa área que se estabelece as diretrizes do ensino, as metodologias e os conteúdos das grades curriculares. Também é o setor responsável pelo acompanhamento do desenvolvimento dos alunos e professores.
  • Gestão Acadêmica: área responsável pelos processos burocráticos e de secretaria, como as matrículas, contratos, documentações. Mantém a base de dados dos alunos atualizada. 
  • Gestão Financeira: cuida do orçamento da instituição de ensino. Gerencia os custos, gastos, receitas e investimentos. É responsável, também, por controlar a inadimplência dos alunos.
  • Gestão de Recursos Humanos: alinhada à gestão pedagógica, essa área gerencia todo o time que trabalha na instituição, contratando profissionais capacitados e motivando desde os professores a alcançarem a excelência na qualidade das aulas ministradas até à equipe de captação e vendas a matricularem mais alunos.
  • Gestão da Comunicação: a comunicação é a alma do negócio, inclusive para o mercado educacional, seja para atrair mais alunos e fechar novas matrículas, seja para conquistar a fidelidade dos alunos atuais e evitar a evasão escolar. Uma boa gestão de instituição de ensino investe na comunicação, interna e externa.
  • Gestão da Tecnologia da Informação: cuida da estrutura tecnológica da instituição de ensino e promove melhorias contínuas no uso de ferramentas e equipamentos, a fim de otimizar a gestão de dados e processos burocráticos. 
  • Gestão Administrativa: é o elo que une todas as áreas. Para que o plano pedagógico seja aplicado com qualidade, a gestão precisa estar comprometida tanto com o processo educacional quanto com o uso correto dos recursos da instituição, bem como ajudar na motivação dos alunos e do corpo docente.

Os benefícios da gestão educacional e da gestão escolar para sua IES

Uma boa gestão escolar, alinhada ao cumprimento da gestão educacional, gera diversos benefícios para a instituição de ensino, entre os quais se destacam:

  • melhores resultados financeiros
  • processo de ensino-aprendizagem mais eficaz
  • reconhecimento da instituição de ensino
  • fidelização dos alunos
  • diminuição das taxas de evasão escolar
  • alcance das metas de captação
  • professores e equipe motivados
  • melhoria da qualidade das aulas
  • otimização do marketing por recomendação

Leia também: Como definir o sistema de avaliação para seus alunos?

Defina o quanto você deseja captar

Como aplicar

Para ajudar você a contar com uma gestão escolar de sucesso para a sua instituição de ensino, separamos algumas dicas essenciais:

  1. Defina os objetivos da instituição: antes de mais nada é preciso definir claramente os principais objetivos da instituição de ensino e focar em sua atividade-fim. Tenha em mente onde você quer chegar a curto, médio e longo prazo.
  2. Planejamento: para tudo que fazemos, planejar com antecedência é essencial para evitar riscos e surpresas desagradáveis. Defina as metas, organize a rotina da escola, marque as reuniões pedagógicas no calendário. Crie um cronograma de atividades. Esteja preparado para que mudanças repentina não atrapalhe a instituição.
  3. Invista em capacitação: o sucesso de uma instituição de ensino depende do desempenho de todo o time, desde a equipe de captação até os professores. Treinamentos e capacitações devem fazer parte da rotina da escola.
  4. Descentralize: como falamos até aqui, são muitas as áreas de uma instituição com as quais o gestor precisa se preocupar, e um dos maiores erros de um gestor é assumir para si as responsabilidades de todo e qualquer assunto da escola. Divida as tarefas e passe a delegar decisões a outros colaboradores. Se sobrecarregar irá atrapalhar a gestão.

Agora que você já sabe a diferença entre gestão educacional e gestão escolar e a importância desses conceitos para o sucesso de uma instituição de ensino, é hora de colocar a mão na massa.

Em nosso blog, você encontra outros conteúdos que podem ajudar em cada etapa da gestão, seja no planejamento, na captação de alunos ou na fidelização, por exemplo. Para não perder nenhum conteúdo, se inscreva em nossa newsletter. Basta preencher o campo no final desta página.

 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Lima
por Marcelo Lima
Marcelo Lima trabalha para colocar estudantes na sala de aula há mais de 20 anos, como profissional de marketing educacional já trabalhou com mais 250 faculdades. É um dos pioneiros do EAD no Brasil e busca sempre os melhores conteúdos em forma de cases e novas ferramentas para os canais da Quero Educação.