0
(0)

Entenda o que é a gamificação no ensino e saiba como usar este recurso em sua instituição para dar um passo além na metodologia pedagógica

Na última década, o mundo passou por diversos avanços tecnológicos. As descobertas nessa área geraram transformações em vários setores da sociedade. Nesse contexto, a gamificação no ensino tornou-se uma tendência no mercado educacional.

A gamificação é o uso da lógica dos games em outros tipos de atividades. Hoje em dia, a sala de aula tornou-se um lugar propício para isso. Apesar de ser um recurso novo no mercado, diversas instituições de ensino estão atraindo alunos com essa metodologia.  

Neste blogpost, você vai entender o que é a gamificação, quais suas vantagens e como implementá-la. Preparado para trazer mais inovação para sua IE? Então vamos lá!

Jovens adultos, alunos, se reúnem em frente ao notebook para aprenderem através de um processo de gamificação

O novo perfil do aluno e o uso da tecnologia no ensino 

Quando o assunto é tecnologia, muita coisa mudou nas últimas décadas. O uso de redes sociais, smartphones, plataformas multimídia e games se popularizou. Tudo isso ocorreu em um curto espaço de tempo e transformou as relações sociais. A forma como as pessoas se comunicam e a maneira como elas aprendem está cada vez mais fluida.

O modelo de ensino tradicional já não atrai tanto os alunos porque os coloca em um papel de passividade. Em contraste com a lousa e o professor, estão diversos tipos de concorrentes pela atenção dos estudantes. Sites, vídeos, aplicativos, jogos… 

Hoje em dia, os alunos têm informação de qualidade na velocidade de um clique. O novo perfil do aluno brasileiro é conectado e dinâmico. Sendo assim, um dos maiores desafios das instituições de ensino é conseguir engaja-los através de aulas mais interativas. 

Com o intuito de suprir esta demanda, as IEs brasileiras têm buscado desenvolver metodologias de ensino mais modernas. Dessa maneira, o uso de games para ensinar é uma possibilidade e pode ser o diferencial da sua instituição. Já pensou nisso?

Gamificação no ensino: o que é e por que seu uso é importante atualmente? 

Já dissemos aqui que a gamificação no ensino é o uso da lógica dos games para ensinar. Antes de mais nada, porém, é preciso dizer que não se trata de jogar videogame em sala de aula. Os jogos devem funcionar como ferramentas e metodologias. Seu professor pode fazer isso através de aplicativos, plataformas, sites, atividades em grupo, etc.

A gamificação no ensino possibilita uma mudança de perspectiva sobre o processo de aprendizagem. O que antes poderia ser massante e limitador pode tornar-se divertido. O uso de jogos no projeto pedagógico permite que os alunos adaptem um hábito de entretenimento para o momento de aprendizado. Isso é inovação para sua instituição!

De acordo com o estudo “O Futuro do Entretenimento”,  divulgado neste ano, 83% das pessoas consideram o entretenimento uma necessidade vital. O estudo discute a transformação na relação das pessoas com o conteúdo. Foram entrevistados cerca de 17 mil jovens acima de 13 anos em 37 países, incluindo o Brasil.

Por serem tão relevantes na vida das pessoas, atividades de lazer e que entretém podem transformar o processo de aprendizagem. É o que pede o novo perfil do estudante brasileiro: encontrar uma relação entre a sala de aula e o mundo lá fora. Para sua instituição, conseguir proporcionar este “encantamento” e, de fato, fazer o estudante aprender, significa reter e captar alunos com mais facilidade.  

Sendo assim, vamos entender melhor outros benefícios em implementar a gamificação no ensino.

O poder de utilizar os games em sala de aula: benefícios da gamificação 

Segundo a Pesquisa Game Brasil (PGB), 75,5% dos brasileiros jogam jogos eletrônicos, independente da plataforma. Os dados são de 2018 e revelam também que maioria desse público tem entre 25 a 34 anos de idade (35,2%). 

Os games fazem parte da relação das pessoas com a tecnologia. Então, vamos conhecer alguns impactos positivos que isso pode ter na sua instituição:

  • Interatividade: a gamificação no ensino proporciona a “quebra da barreira” entre professor e aluno. O estudante sai do lugar passivo de apenas receber informações e é estimulado a participar mais da aula.
  • Inovação no projeto pedagógico: aplicar a gamificação no ensino trará inovação para seu projeto pedagógico. Isso pode diferenciar sua IE no mercado, trazer autoridade e fortalecer sua marca. 
  • Progressão do aluno: através de elementos dos jogos é possível, também, inovar na forma de acompanhar a progressão do aluno. A lógica da evolução por níveis e fases pode otimizar o trabalho do professor e trazer dinamismo para as avaliações.
  • Redução de custos: muitos gestores acreditam que para iniciar este tipo de novidade é preciso investir altos valores em tecnologia. No entanto, para fazer experimentos com a gamificação no ensino, você pode começar por ferramentas e jogos gratuitos. Além disso, o professor também pode reformular a forma de aplicar a lógica de algum jogo, sem necessariamente investir numa ferramenta. É possível, por exemplo, reduzir custos substituindo parte da sua produção de videoaulas pelo uso dos games.

Agora, vamos mostrar uma experiência de sucesso para inspirar você! Conheça o case da instituição que está aplicando a gamificação no ensino em Belo Horizonte.

Colégio Santo Agostinho: um case de sucesso sobre gamificação no ensino

O Colégio Santo Agostinho, em Minas Gerais, foi reconhecido pela Microsoft como Showcase School e passou a fazer parte de um grupo seleto de escolas que exemplifica o melhor do ensino e da aprendizagem  Alguns dos critérios para ganhar este selo de aprovação são: visão e inovação em ensino, aprendizado e avaliação, pensamento crítico e computacional e disposição em promover uma mentalidade de crescimento entre educadores e alunos.

O uso da gamificação no ensino foi um fator fundamental para este reconhecimento.

O professor de Física do Santo Agostinho, unidade de Contagem, Patrick Bonnereau, fala um pouco sobre a gamificação: “Gamificação não é sobre jogar, é sobre estar constantemente pensando na proposição de valor de cada dinâmica da sala de aula. Não adianta dizer aos estudantes para fazer uma atividade porque vale ponto. Quando eles não enxergam ou não entendem o valor de alguma coisa, entram no que chamamos de ‘indolência providencial’, que é uma espécie de ausência que torna suportável a experiência obrigatória para a qual o estudante não vê sentido”, explica.

Professor patrick do Colégio Santo Agostinho, em Belo Horizonte sorri para a câmera.
O professor acredita que a gamificação é a chave para uma nova pedagogia que estimule todos os alunos e que proporciona um acompanhamento mais próximo (Foto: Lorayne Francois)

Como fazer meu aluno ver sentido na avaliação?

De acordo com o professor, as atividades que valem ponto podem ser feitas três vezes e a nota final é a média das três notas atingidas. Se o estudante ultrapassar 60%,  ele recebe total naquela fase. 

Além disso, a cada dois ou três encontros, existe algum tipo de quizz ou competição que exige alguma habilidade do estudante (não somente dominar o conteúdo).

Neste modelo, o diferencial é que cada estudante precisa se comparar com ele mesmo. O foco está em premiar quem se esforça e troca de nível e não mais quem já chegou em um nível alto porque tem “facilidade”. O aluno que não sabia nada e agora sabe um pouco precisa ter mais valor do que o que  já sabia e por isso não aprendeu nada.

A mudança de proposta também trouxe melhoria no engajamento dos alunos em sala de aula: “Desde que adotamos a gamificação, o engajamento é outro. Nosso laboratório acontece à tarde, depois que os estudantes já tiveram uma manhã inteira de aula. Mesmo assim, chegam dispostos e participam de tudo mesmo que uma etapa inteira de trabalho só lhes atribua, no máximo, seis pontos”, relata Patrick.

E então, o que acha de experimentar esse tipo de proposta na sua IE?

Aluna acompanha conteúdos pedagógicos em celular que está em suas mãos através do processo de gamificação

Conclusão

Diversos avanços tecnológicos vêm transformando o mercado educacional. O novo perfil de aluno acompanha esse movimento e exige inovação das instituições de ensino. A gamificação é uma tendência cada vez mais presente neste contexto.

Utilizar da dinâmica dos games em seu projeto pedagógico permite atrair e reter alunos. Isso ocorre porque essa proposta é capaz de tornar o ambiente da sala de aula mais estimulante. Inovação, criatividade e autonomia na hora de aprender são alguns dos aspectos desse recurso.

A gamificação no ensino também pode otimizar o trabalho dos professores, mediadores fundamentais nesse processo de aprendizagem. Implementar essa mudança só depende da vontade de gestores e educadores em inovar na sua IE.

Se a sua equipe quer fortalecer a marca da sua instituição e oferecer diferenciais no mercado, ela precisa ficar de olho nessa tendência!

Acompanhe nosso blog e continue por dentro das novidades mais interessantes sobre gestão e educação. Para receber nossos conteúdos por e-mail, assine nossa newsletter no banner abaixo.

 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Patrick Caldas por Patrick Caldas