5
(1)

Para que uma instituição de ensino obtenha sucesso no mercado educacional, é fundamental contar com um planejamento educacional muito bem elaborado. Isso engloba organizar cada atividade, desde a preparação do que ensinar e como ensinar até os processos de avaliação escolar e estratégias de gestão.

O planejamento educacional é um instrumento de melhoria contínua da instituição de ensino, e ajuda a promover uma melhor experiência ao aluno, considerando a forma como ele aprende e os processos de ensino-aprendizagem.

Um bom planejamento torna a instituição mais qualificada e competitiva no mercado educacional.

Neste artigo, você compreenderá o que é o planejamento educacional, a sua importância para a instituição de ensino e como otimizar o seu processo de elaboração.

Mas o que é planejamento educacional?

Planejamento em educação é a ação de se gerenciar as atividades de uma instituição de ensino, em todas as suas dimensões, desde o conteúdo dado em aula até às estratégias de captação de alunos.

Assim como qualquer outro empreendimento ou atividade humana, seja a criação de uma empresa ou a organização de um evento, por exemplo, o planejamento é fundamental para que se obtenha sucesso e os objetivos sejam alcançados.

O mesmo vale para uma instituição de ensino, contudo, seguindo suas próprias características e necessidades.

O planejamento escolar abrange todas as ações de uma instituição de ensino.

Toda atividade deve ser devidamente prevista e organizada como parte desse planejamento – conteúdo a ser ensinado nas aulas, metodologias de ensino, calendário escolar, férias, atividades extracurriculares, programa de bolsas de estudo, estratégias de captação de alunos, comunicação e marketing etc. 

Com tantas áreas a serem consideradas, podemos dividir o planejamento educacional em 5 dimensões:

  1. Planejamento do Sistema de Educação: é a dimensão legislativa do planejamento educacional, ou seja, é de responsabilidade do Estado e determina as diretrizes do sistema educacional do país e inclui o Plano Nacional de Educação (PNE). Deve ser profundamente estudado pelo gestor e equipe pedagógica. Há regras para cada nível do sistema de ensino e, nas diretrizes curriculares do MEC, o conteúdo programático para cada curso do ensino superior.
  2. Planejamento Pedagógico: é definido em conjunto com todo o corpo docente da instituição de ensino e estabelece o calendário do próximo ano letivo, composto por 200 dias. É nessa dimensão que se determina as datas das avaliações, férias, atividades escolares, projetos complementares, grade de horário das aulas.
  3. Planejamento Curricular: nessa esfera, defini-se o conteúdo curricular, não somente os componentes obrigatórios definidos pelo Ministério da Educação e na esfera do Sistema de Educação, mas também os demandados pela comunidade escolar e que serão os diferenciais da instituição de ensino.
  4. Planejamento do Ensino: cada professor deverá se debruçar sobre os resultados das dimensões anteriores e definir, sob orientação da coordenação pedagógica e em conformidade com os objetivos da escola, as metodologias e melhores práticas a serem adotadas em sua aula, bem como os resultados esperados.  
  5. Planejamento Administrativo: é a dimensão mais comercial e de gestão da instituição de ensino. Aqui, o gestor deverá considerar as demais esferas e definir a estratégia de negócio. Incluir no calendário escolar as ações de marketing, campanhas de captação de alunos, datas de matrículas, metas a serem alcançadas, quantidade de alunos para cada turma, processos burocráticos, capacitações tanto do corpo docente quanto dos demais colaboradores, planejamento financeiro (receitas e despesas), entre outras ações.

Dica de leitura: 7 erros para evitar no planejamento estratégico de educação

Apesar do foco no presente, o planejamento educacional deve revisitar o passado e projetar o futuro, levando em consideração também o papel da educação.

Com experiências adquiridas, objetivos bem definidos e conhecimento da realidade em que está inserido, o gestor contará com informações e fundamentos para realizar o planejamento educacional e gerir a instituição de ensino com efetividade.

Isso significa que, para uma instituição de ensino, é importante acompanhar a realidade do mundo contemporâneo, a fim de que seu papel vá além da geração de valor financeiro, mas que contribua para a promoção de uma educação focada no desenvolvimento humano, e seja capaz de inovar para resolver problemas da sociedade.

Para isso, o planejamento educacional deve acontecer em três etapas, que listamos a seguir.

Principais fases do planejamento educacional

Como você viu até aqui, o planejamento educacional de uma instituição de ensino é bastante amplo e engloba diversas dimensões. Além disso, está em constante transformação e deve ser revisto periodicamente.

Ao ser elaborado – ou revisto – é preciso envolver toda a comunidade escolar e contar com o apoio da equipe pedagógica. O planejamento acontece em três diferentes fases: 

  • Finalidade: a primeira fase do planejamento educacional consiste em refletir, questionar e deliberar sobre o que será ensinado e por quais motivos. Além dos conteúdos obrigatórios de cada disciplina, definidos pelas diretrizes do MEC, a instituição de ensino tem a liberdade de acrescentar seus próprios projetos no currículo, o que poderá ser um grande diferencial em relação às demais instituições. 
  • Realidade: após definir as metas e objetivos da instituição, junto aos conteúdos que serão ensinados, a próxima etapa é compreender a realidade na qual ela está inserida, tanto interna quanto externamente. Para isso, pesquisas de mercado e coleta de depoimentos, análises macro e microeconômicas e diagnósticos de indicadores podem contribuir  para um parecer mais completo e aprofundado.
  • Plano de Ação: a última fase do planejamento educacional é confrontar a finalidade da instituição com a sua realidade, ou seja, aquilo que se quer fazer com o que é possível realizar. A partir disso, elabora-se um documento com todas as questões burocráticas, administrativas e pedagógicas da escola, desde a gestão como um todo até definições de cada disciplina, que irá conduzir todo o ano letivo. Aqui se inclui o calendário escolar, projetos interdisciplinares, formas de avaliação e regras de uso dos espaços coletivos, por exemplo.

A importância do planejamento em educação

Agora que você já sabe o que é, para que serve e como é feito o planejamento educacional, podemos analisar sua importância para a instituição de ensino.

  • Prevenir riscos: projetar o futuro e definir metas e objetivos claros resulta também em antecipar riscos e possíveis problemas e, também, as soluções e alternativas.
  • Melhorar processos: ao revisitar ações passadas, o gestor poderá encontrar falhas ou processos que podem ser melhorados. Assim, preza-se pela evolução e melhoria contínua da qualidade da instituição de ensino.
  • Facilitar a gestão escolar: apesar de trabalhoso na sua elaboração, o planejamento em educação facilita e auxilia na gestão escolar. Com todas as ações programadas, metas e objetivos bem definidos, regras determinadas, e tudo isso fundamentado em documento escrito, os processos de gestão tornam-se mais fluidos e organizados.
  • Envolver a comunidade escolar: um bom planejamento educacional envolve pais, alunos, professores e todo o público de interesse. Ouvir o que os pais e alunos esperam da instituição e compreender seus desejos e necessidades, por exemplo, ajudará a entender o mercado e como a instituição pode se posicionar.
  • Apresentar os diferenciais: após incluir tudo o que é obrigatório pela legislação no planejamento do Sistema de Educação, o gestor e sua equipe pedagógica poderão incluir os conteúdos diversificados e atividades extracurriculares, bem como diferentes metodologias, que poderão ser usados como diferenciais da instituição para atrair pais e alunos.
  • Transformar ideias em realidade: todas as ideias, sugestões e inspirações para melhoria da gestão escolar e do conteúdo oferecido pela instituição de ensino poderão ser avaliadas e inseridas nas ações a serem realizadas.
  • Mensurar resultados: o planejamento educacional cria mecanismos de mensuração dos resultados e alcance de metas. Assim, o gestor poderá entender se as ações realizadas têm apresentado resultados ou se a estratégia adotada precisa ser revista.

Leia também: O que é gestão educacional e como aplicar? 

reunião de planejamento educacional

Dicas de como fazer um planejamento de sucesso

Para fazer um planejamento educacional de excelência, nossa dica é unificar o planejamento escolar estratégico com o participativo.

O planejamento participativo envolve a comunidade escolar em sua elaboração, isto é, a tomada de decisões é influenciada pelo coletivo.

As pautas devem ser apresentadas e votadas por alunos, pais, professores, coordenadores e funcionários, estando todos alinhados ao Projeto Político Pedagógico da instituição.

Já o planejamento estratégico assemelha-se a um planejamento empresarial, baseado na análise quantitativa e qualitativa que direcionam as metas e objetivos da instituição de ensino.

Diferente do modelo participado, que distribui horizontalmente o poder de decisão, no planejamento estratégico a tomada de decisão concentra-se no gestor. É um processo mais objetivo.

Além disso, indicamos algumas ações práticas para que o gestor promova um planejamento educacional de modo mais efetivo:

  • Entenda o que exige a lei: o planejamento educacional deve estar alinhado às diretrizes curriculares do MEC e do PNE. O gestor deve ter conhecimento aprofundado dessas normas e recomendações.
  • Conheça o mercado: o gestor precisa compreender o mercado educacional e entender suas demandas, exigências, desafios, dificuldades e oportunidades. Para ajudar você nessa tarefa, disponibilizamos diversos e importantes conteúdos em nosso site.  
  • Incentive a colaboração, o debate e o diálogo: reúna a equipe pedagógica e professores para discutir sobre o futuro da escola. Todas as opiniões devem ser ouvidas e discutidas a fim de se chegar a um consenso. Além de sentirem contemplados no planejamento, o corpo pedagógico poderão contribuir muito com sua experiência prática no ensino e apresentar boas ideias. E, ainda, se sentirão motivados a cumprir os objetivos da instituição.
  • Envolva os pais e alunos: estes são os clientes da instituição de ensino, e é por eles que se gera receitas. Ouvir os desejos e necessidades da comunidade acadêmica, da sociedade e do público de interesse torna a instituição mais competitiva e, também, mais democrática.
  • Reavalie o que já foi feito: analise e compare os planejamentos anteriores, avaliando o que foi positivo e o que foi negativo, para que seja aproveitado, melhorado ou excluído no novo planejamento.
  • Defina metas alcançáveis: além dos objetivos gerais da instituição, as metas também precisam ser definidas, mas de forma que sejam realizáveis. As metas devem ser claras, objetivas, concretas e mensuráveis. Também deve-se criar tarefas de curto prazo, para que essas metas sejam alcançadas durante o ano letivo. Só assim o gestor e toda a equipe poderão acompanhar o cumprimento do planejamento e se há resultados positivos.
  • Avalie regularmente e permita a flexibilidade: o planejamento educacional deve ser avaliado constantemente pelo gestor durante o ano letivo, para que sejam encontrados pontos a serem melhorados e prevenir erros e surpresas desagradáveis. Para isso, é importante a flexibilidade do plano para alterações necessárias durante o percurso. Isso deve estar claro durante a sua elaboração. Reuniões bimestrais ou trimestrais de avaliação com a equipe pode ajudar no processo.
  • Estabeleça um cronograma: além do calendário de aulas e atividades escolares, é importante criar um cronograma de atividades internas integrado ao calendário escolar, onde estarão planejadas as reuniões pedagógicas e demais ações.
  • Colha feedbacks: é o modo mais eficaz de se avaliar os resultados do plano para a comunidade escolar. Além das reuniões regulares com a equipe pedagógica, ouvir os pais e alunos é importante para acompanhar o efeito do plano e se os objetivos da instituição de ensino estão sendo atingidos.

Soluções para sua instituição de ensino

Agora que você já sabe como elaborar um bom planejamento educacional, você pode pesquisar soluções que podem torná-lo ainda mais estratégico.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Lima
por Marcelo Lima
Marcelo Lima trabalha para colocar estudantes na sala de aula há mais de 20 anos, como profissional de marketing educacional já trabalhou com mais 250 faculdades. É um dos pioneiros do EAD no Brasil e busca sempre os melhores conteúdos em forma de cases e novas ferramentas para os canais da Quero Educação.