5
(1)

Conheça algumas orientações do MEC para lidar com o coronavírus e atitudes imediatas que a gestão da sua IES pode tomar

Desde o último dia 11 de março, a Organização Mundial de Saúde (OMS) categorizou o Novo Coronavírus (Covid-19) como pandemia. Diante do aumento acelerado de casos suspeitos e diagnósticos positivos no Brasil, a educação sofreu impacto imediato. Ou seja, a questão atual no setor é: como instituições de ensino lidam com o coronavírus?

Nesse sentido, este conteúdo visa atualizar gestores com informações oficiais. Além disso, você vai conhecer medidas que já vem sendo implementadas e ações que a gestão da sua instituição de ensino pode aderir. Vamos lá?

Orientações do Ministério da Educação sobre o Coronavírus

De acordo com a OMS, o isolamento social é a melhor forma de controlar a propagação do coronavírus. Sendo assim, a suspensão das atividades presenciais e a significativa redução das atividades de atenção ao público têm sido medidas emergenciais adotadas pelas instituições de ensino.  

Como resultado de uma força- tarefa pelas informações sobre o coronavírus, o  MEC também lançou um aplicativo (Coronavírus – SUS). Ele serve tanto para iOS quanto para Android e contém:

  • Informações sobre a doença;
  • Instruções atualizadas para a população;
  • Mapa das unidades de saúde que podem fazer o atendimento em caso de suspeita. 

Além disso, o Ministério da Educação (MEC) disponibiliza um ofício-circular com instruções do que fazer frente ao surto. Em seu Portal de Notícias, a Associação Brasileira de Mantenedores de Ensino Superior (ABMES) também publica orientações atualizadas para o setor educacional.

Em síntese, as instituições de ensino devem acatar as orientações do Ministério de Saúde e do governo federal no que diz respeito à prevenção do coronavírus.

Instituições de ensino e o coronavírus: medidas obrigatórias e recomendadas

No dia 17 de março o Governo Federal tomou uma atitude que interferiu muito em como as instituições de ensino lidam com o coronavírus. Afinal, foi autorizada a substituição das aulas presenciais por aulas à distância em todas as instituições federais de ensino. Logo após isso, intensificou-se a suspensão das aulas tanto na esfera pública quanto privada.

A princípio, o período de suspensão ainda é incerto, porém grande parte das IEs suspendeu suas atividades até o próximo dia 31. No entanto, não se sabe se esse prazo será ou não postergado e até quando. 

Além disso, para respeitar o isolamento social, atendimentos presenciais também foram e estão sendo suspensos. Sendo assim, as IEs estão contando com a tecnologia como uma grande aliada neste processo. 

Alteração no número de dias letivos obrigatórios

Outra preocupação do setor é quando (e se) as aulas perdidas serão recuperadas. De acordo com uma divulgação do Portal de Notícias do MEC, estão sendo analisadas possibilidades para flexibilizar o cumprimento dos calendários letivos. 

Paralelo a isso, a carga horária máxima de aulas à distância, hoje prevista pela Lei de Diretrizes e Bases (LBD), pode ser alterada. De acordo com o MEC, o objetivo é diminuir possíveis prejuízos aos estudantes e docentes.

Gestão educacional: como sua instituição de ensino pode lidar com o coronavírus?

Buscar alternativas para respaldar o isolamento social é o ponto de partida de todas as possíveis ações dos gestores neste momento. Sendo assim, em primeiro lugar, há duas opções em relação a uma decisão imediata:

  •  Suspender as aulas integralmente e elaborar um plano de reposição no futuro (com calendário ainda incerto);
  •  Substituir todas as  aulas presenciais por aulas online ainda neste período.

No contexto atual, independente da decisão, a tecnologia é fundamental  para criar e/ou adaptar canais digitais de comunicação. Nesse sentido, as IEs devem buscar e testar ferramentas tecnológicas como:

Em resumo, todo o cenário imposto pela pandemia do coronavírus no Brasil trouxe grandes desafios para as IEs. Afinal, é preciso ser estratégico, agir com rapidez e muita  responsabilidade no processo de prevenção do coronavírus

Gestão educacional e a prevenção do coronavírus 

Desde que foi decretada a pandemia no Brasil, o MEC está reforçando as seguintes orientações para as instituições de ensino:

  • Promover campanhas de conscientização quanto à lavagem de mãos e etiquetas respiratórias (o que fazer ao tossir ou espirrar, por exemplo);
  • Disponibilizar, conforme as suas possibilidades, dispensadores para a higienização de mãos (álcool em gel e sabonete líquido, por exemplo) caso ainda haja atividades presenciais na instituição;
  • Realizar a higienização e desinfecção de superfícies de forma recorrente;
  • Manter a atenção para colaboradores ou estudantes com sintomas similares aos causados pelo coronavírus: tosse seca, febre alta e dificuldades respiratórias;
  • Comunicar, às autoridades sanitárias, a ocorrência de suspeita de casos de Covid-19.

Gestão de crise: comunicação segura, transparente e eficaz

A comunicação é uma arma poderosa para enfrentar não só os desafios de contexto externos, como também os internos. Afinal, é natural que um cenário de pandemia provoque medo, pânico e até um certo caos.

Nesse sentido, é fundamental que o gestor comunique-se com seu time com frequência, clareza e sensibilidade. É preciso estar presente como liderança e  prezando pela organização dos processos. 

Apesar do desafio posto, é hora de passar segurança ao seu time, aos estudantes e familiares dos alunos. Afinal, há uma  certeza neste momento e ela é que ele vai passar e que muitos danos podem ser minimizados. 

Gostou deste conteúdo? Avalie com as estrelas abaixo e continue acompanhando nosso blog com as atualizações sobre a prevenção do coronavírus e as  instituições de ensino. 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Lima por Marcelo Lima